Fototerapia

Tratamentos com Fototerapia – PUVA

UVB – Fototerapia sem o uso prévio de medicação o que permite o seu uso em pessoas que apresentem contra indicações ao PUVA. A luz utilizada é um espectro específico da luz ultravioleta B.
PUVA – Fototerapia com o uso de medicação fotossensível e radiação com luz ultravioleta A.
Apresenta contra indicações para gestantes, crianças menores de 12 anos e pessoas que apresentem intolerância ao medicamento.
Tratamento com fototerapia é indicado para várias doenças dermatológicas, sendo as mais comuns vitiligo, dermatite atópica, linfoma cutâneo ( micose fungóide) e psoríase.

  • DERMATITE ATÓPICA

Dermatite Atópica

Dermatite Atópica

A dermatite atópica é uma doença inflamatória crônica da pele que apresenta uma evolução cíclica com períodos de melhora e piora. A etiologia não é exatamente conhecida, sendo multifatorial. Observa-se um caráter familiar e frequentemente está associada à asma ou bronquite e rinite alérgica. Não é uma doença contagiosa e a sua freqüência na população vem aumentando gradativamente, principalmente nas áreas urbanas, chegando até 20% em algumas localidades. O eczema atópico, termo utilizado como sinônimo da dermatite atópica, é sua manifestação mais comum e caracteriza-se por lesões inflamadas da pele, avermelhadas, que coçam, descamam e, às vezes, ficam úmidas. Inicia-se no primeiro ano de vida, na maioria dos casos, tem uma evolução crônica e cerca de 60% das crianças apresentam redução ou desaparecimento das lesões antes da adolescência. No bebê as lesões predominam na face e nas superfícies externas dos braços e pernas. Nas crianças maiores e nos adultos as lesões acometem principalmente as dobras do corpo, como as dos joelhos, cotovelos e pescoço. Nos casos mais graves, pode acometer grande parte da superfície corporal.
Portadores de dermatite atópica apresentam uma incidência maior de infecções bacterianas, fúngicas ou virais da pele. Apesar da melhora gradativa da doença com a progressão da idade, o paciente com dermatite atópica tende a manter, durante toda a sua vida, uma pele ressecada que se irrita facilmente.

  • LINFOMA CUTÂNEO  (Micose Fungóide)

O linfoma cutâneo de células T é uma enfermidade dos linfócitos T. O linfoma cutâneo de células T habitualmente se desenvolve lentamente em períodos de vários anos. Nas etapas iniciais o paciente pode sentir coceiras na pele e apresentando áreas secas e escuras. À medida que a enfermidade avança, podem aparecer tumores na pele, uma condição clínica chamada de micose fungóide. A enfermidade pode se disseminar para os nódulos linfáticos e a outros órgãos do corpo, como baço, pulmões e fígado. Quando um número elevado de células tumorais é encontrado nos linfonodos, essa condição é denominada de Síndrome de Sézary. Quanto maior a área cutânea afetada pela enfermidade, maior é a possibilidade de que a pele seja infectada.
O paciente que apresenta sintomas de linfoma cutâneo deve consultar um médico para a realização de uma biópsia (retirada de uma parte crescida da pele para ser observada no microscópio).